F1 – GP do Canadá: Hamilton supersónico iguala Senna

Numa pista que tem dado muitas dores de cabeça devido à falta de aderência, com vários piões e sustos, os pilotos enfrentavam a qualificação no traçado do circuito Gilles Villenueve. Os novos pneus precisam de ser tratados com inteligência pois muitos pilotos estão a usar mais que uma volta para aquecer os pneus, de forma a que a superfície seja a ideal para a aderência. Se puxarem em demasia pelas borrachas demasiado cedo, os níveis de aderência deixam de ser os ideias. Talvez as temperaturas mais elevadas ajudassem neste aspecto.

 

Q1 

A Ferrari começava com a estratégia do costume. Vettel e Raikkonen calçavam os super softs e colocavam tempos competitivos, enquanto os outros usavam as borrachas mais macias e mesmo assim as queixas de falta de aderências continuavam. Bottas com ultrasofts destronava Vettel e pouco tempo depois era Hamilton a colocar o melhor tempo na tabela. Os McLaren pareciam estar lançados para o ataque à Q2 enquanto os Haas e os Sauber pareciam em dificuldades.

Os problemas de aderência continuavam enquanto Verstappen era o homem mais forte da Red Bull e os Force India estavam confortavelmente no top 10. Vandoorne e Stroll estavam agora na zona de exclusão e estavam todos a espera das últimas voltas para entender quem passaria à Q2. Nos últimos minutos, Wehrlein teve uma saída de pista na curva 1, o que acabou com o seus esforço na qualificação. Definitivamente este ano está recheado de azares para o alemão. A sessão ficou assim ligeiramente encurtada e os eliminados foram  Vandoorne, Stroll, Magnussen, Ericsson, Wehrlein.

 

Q2 

Nas primeiras voltas eram os Mercedes a colocar os tempos mais rápidos, embora os Ferrari tenham sido muito poupados no acelerador na primeira tentativa e também com alguns percalços para Vettel. Sainz tinha uma saída semalhante a Wherlein mas sem bater nas barreiras o que lhe permitiu continuar. Hamilton era o mais rápido, seguido de Kimi, Bottas, Vettel e Ricciardo. Os Force India continuavam no top 10 e os Toro Rosso estavam na zona de exclusão. Alonso queixava-se de falta de potência no seu motor (o que não era novidade para ninguém).

Bottas conseguiu melhorar o seu tempo mas não conseguiu fazer melhor que Hamilton. Kvyat apareceu com um pneu furado mesmo nos segundos finais. De foram ficavam Kvyat, Alonso, Sainz, Grosjean, Palmer.

 

Q3

Nas primeiras voltas, Vettel arriscou em demasia no gancho e perdeu algum tempo aí e ficava à espera da resposta dos adversários. E Hamilton respondia com classe fazendo a volta mais rápida de sempre nesta pista, ficando abaixo do minutos 1:12. Bottas seguia-lhe o exemplo e ficava em 2º e mesmo Raikkonen conseguiu melhor que Vettel que era agora 4º.

Os Force India estavam em 7º e 8º, Massa ficava à frente dos Force e Ricciardo atrás de Verstappen. Hulkenberg estava em 10º.

 

Na segunda tentativa Vettel ia de faca nos dentes e ficou a 0.004 segundos da pole. Faltavam 3 minutos para o fim da sessão e os pilotos iam para a pista para a última tentativa. Hamilton estava numa volta fenomenal e conquistava um novo recorde de pista. Bottas não conseguia fazer melhor e Raikkonen também não. Hamilton conseguia igualar o recorde de 65 poles do rei Senna.

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.