Moto 2: Grande Prémio de Barcelona- Resumo

 Neste domingo de manhã assistiu-se a mais uma ronda da classe Moto2 do mundial de MotoGP, na pista da Catalunha. Com uma temperatura do ar de 33ºC e uma temperatura na pista de 48ºC, não ia ser uma corrida fácil por conta do desgaste prematuro dos pneus. A juntar a isso, todos os pilotos se queixaram que o asfalto da pista está em muito mau estado e isso traz grandes problemas de aderência.

Na Pole Position para a corrida partia o piloto espanhol #73 Alex Márquez da equipa EG 0.0 , Marc VDS em Kalex, seguido do piloto #54 Mattia Pasini da equipa Italtrans Racing Team em moto Kalex e no 3º lugar, o piloto #7 Lorenzo Baldassari da equipa Forward Racing Team em Kalex também.

O piloto português #44 Miguel Oliveira, em moto KTM, da equipa Red Bull KTM Ajo, partia da 7ª posição da grelha de partida. Esta foi a sua 100ª corrida no conjunto das várias classes do campeonato do MotoGP. Foi também nesta pista espanhola que o Miguel obteve o seu primeiro pódio no ano de 2012.

No arranque, toda a gente largou bem bem, de uma forma muito compacta, com o #73 Alex Márquez a ficar logo na liderança e o piloto português #44 Miguel Oliveira a saltar para o 4º lugar. Já o piloto suíço #12 Thomas Luthi, para evitar a queda, passou por fora da pista, tendo que devolver os lugares que tinha ganho.

Na primeira volta, o #73 Márquez já levava uma vantagem de 1,739s para o 2º lugar, onde seguia o piloto #21 Franco Morbidelli, líder do Moto2, que tinha feito um bom arranque desde do 6º lugar na grelha de partida. Também na primeira volta, o piloto #45 Tetsuta Nagashima caiu sozinho na curva 10 do circuito, mas conseguindo voltar a corrida.

Na segunda volta, #73 Márquez continuava a acelerar ao máximo e já tinha 2,174s de vantagem para o #21 Morbidelli. Começava-se já a ver uma grande distância do piloto espanhol, que começava a ter um ritmo fulgurante e que ninguém conseguia acompanhar. Começava também uma luta pelo o 2º lugar entre o #21 Morbidelli e o #54 Pasini que seguia em 3º, mas com um ritmo superior. Já #44 Miguel Oliveira seguia confortável na 4º posição, com o piloto suíço #12 Luthi a vir no seu encalço.

Com 19 voltas para o fim da corrida, o piloto #21 Franco Morbidelli não consegue aguentar a pressão do #54 Mattia Pasini e é ultrapassado por ele, caindo assim para o 3º lugar. Na curva 3, o piloto #6 Tarran Mckenzie cai sozinho e abandona a corrida. Na volta a seguir, #73 Alex Márquez continuava sozinho lá na frente, a sua corrida solitária, com vantagem de 3,323s para o #54 Pasini que era o 2º classificado.

A 17 voltas do fim, o suíço #12 Luthi começou a pressionar o #44 Miguel Oliveira, acabando por conseguir a ultrapassagem e atirando assim o piloto português para a 5ª posição na corrida. Logo a seguir #12 Thomas Luthi, com um bom ritmo, começou a pressionar o #21 Morbidelli, que mostrava estar a perder “gás” e na volta a seguir, na chicane mais apertada na pista, o suíço conseguiu passar o italiano na segunda tentativa.

Com esta luta, o #44 Miguel Oliveira conseguiu recuperar tempo e logo a seguir a ultrapassagem de #12 Luthi a #21 Morbidelli, o português ficou juntinho ao italiano. Ao fazerem a curva, o #44 Miguel conseguiu passar por dentro o #21 Morbidelli, que tinha alargado muito a trajetória, mas podia ter sido o fim da corrida para os dois pilotos, visto que um dos pés do italiano, escorregou da mota e bateu forte em #44 Oliveira, logo no momento da ultrapassagem, mas o português aguentou a pancada e assim passou de novo para a 4ª posição na corrida.

A 14 voltas do fim, o piloto espanhol #73 Márquez seguia em 1º lugar isolado com quase 4s de vantagem sobre o 2º lugar de #54 Pasini, apesar de um pequeno susto em cima do corretor antes da reta da meta, mas #73 Márquez conseguiu segurar a mota. Em 3º seguia o #12 Luthi e em 4º lugar o #44 Miguel Oliveira.

Oliveira, Catalunya Moto2 2017

Mais atrás, havia uma grande luta pelo o 8º lugar na prova entre os pilotos #30 Nakagami, #97 Vierge, #24 Corsi, #40 Quartararo, #23 Schrotter, #32 Viñales e o piloto #77 Aegerter. Todos separados apenas por 0,004s. Nessa volta o piloto #11 Sandro Cortese caiu sozinho no fim da reta da meta, abandonando assim a corrida quando seguia na 23ª posição. A 10 voltas do fim, o piloto #7 Baldassari passa o líder do campeonato #21 Morbidelli, tomando assim o 5º lugar.

O #44 Miguel Oliveira começava a pressionar o 3º classificado que era o #12 Luthi, pois a sua KTM estava a funcionar melhor com o depósito de combustível já meio e com os pneus mais gastos. Estavam separados por apenas 0,038s. Mais atrás o #30 Nakagami aguentava a pressão dos outros seis pilotos pela a 8ª posição. A 8 voltas do fim o piloto italiano #62 Stefano Manzi da equipa Sky Racing Team VR46, entra para as boxes e abandona a corrida por avaria na sua moto.

Até a última volta, tudo se manteve igual na frente da corrida com o #73 Márquez a liderar destacado com mais de 3s de vantagem. Mais atrás o #30 Nakagami não aguentou a pressão e foi ultrapassado perdendo assim vários lugares. O piloto #23 Marcel Schrotter caiu na última volta e abandonou a corrida também.

O piloto espanhol #73 Alex Márquez ganhou assim a corrida de Moto2 na Catalunha. Uma corrida que dominou do início ao fim, sem ser incomodado por ninguém. Com um ritmo alucinante que deixou todos para trás desde do primeiro minuto, parecia que a sua mota tinha um foguete atrás.

No 2º lugar ficou o piloto italiano #54 Mattia Pasini a 3,525s de #73 Márquez. No 3º lugar do pódio ficou o piloto suíço #12 Thomas Luthi a 4.452s do 1º lugar. O piloto português #44 Miguel Oliveira ficou com o 4º lugar da prova. Já o atual líder do campeonato #21 Franco Morbidelli ficou-se pelo o 6º lugar, perdendo assim alguns pontos preciosos para o campeonato.

O piloto português teve um excelente arranque, conseguindo passar de 7º para 4º e fugir a toda a confusão do início da prova. Teve um andamento muito consistente durante toda a prova, mas a sua KTM nunca mostrou ter um andamento muito forte, para incomodar os pilotos à sua frente, até ao meio da corrida, quando esta começou a ficar mais leve e com os pneus mais gastos. Pode ter sido também de uma má escolha do pneu traseiro, que com tanto calor em pista pode ter custado algum tempo ao piloto. O piloto português não subiu ao pódio neste seu 100º GP mas não deixou de ser uma boa corrida.

 

Flat Out. Boas Curvas

Fábio Guedes

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s