24h de Le Mans – Uma corrida de loucos e uma maldição que continua

Esta 85ª edição das 24 Horas de Le Mans irá ficar na história como uma das mais imprevisíveis de sempre.

A batalha pela vitória à geral era entre a Toyota, ainda à procura do primeiro triunfo em La Sarthe, e a Porsche, 18 vezes vencedora mas com fome de chegar à 19ª. Desde o início, o Toyota TS050 Hybrid (#7) de Mike Conway, Kamui Kobayashi e Stéphane Sarrazin, liderou a corrida, apesar da margem para o Porsche 919 Hybrid (#1) de André Lotterer, Nick Tandy e Neel Jani ser curta. À quarta hora, o Porsche 919 Hybrid (#2) de Brendon Hartley, Earl Bamber e Timo Bernhard perdeu uma hora nas boxes com problemas no eixo dianteiro, não tendo potência nesse eixo. A vítima seguinte foi o Toyota (#8) de Sébastien Buemi, Anthony Davidson e Kazuki Nakajima, que teve problemas sérios com o sistema híbrido, e isto custou-lhes 29 voltas.

 

À 11ª hora, a corrida da Toyota ficou completamente destruída. O carro #7 de Kamui Kobayashi abrandou e parou várias vezes em pista com problemas na embraiagem, e o japonês não conseguiu levar o carro às boxes, abandonando na liderança. Minutos depois, o carro #9 de Nicolas Lapierre, José María López e Yuji Kunimoto, que subira ao 2º lugar, sofreu um corte de combustível, perdeu velocidade e teve uma colisão com o Oreca 07 (Gibson) (#25) quando este saiu das boxes, danificando o pneu traseiro esquerdo. Lapierre não conseguiu voltar às boxes, e o Porsche #1 ficava com uma liderança de nove voltas para o 2º classificado, um LMP2, o Oreca 07 (Gibson) (#13) de Nelson Piquet, Jr., Mathias Beche e David Heinemeier Hansson.

A situação manteve-se estável para o Porsche #1, aumentando a diferença para 13 voltas, enquanto que o Oreca 07 (Gibson) (#38) de Ho-Pin Tung, Thomas Laurent e Oliver Jarvis, beneficiou dos problemas dos dois Oreca da Rebellion para subir à liderança da classe LMP2 e ao 2º lugar da geral.

Quando tudo parecia decidido, a 3 horas e 45 minutos do fim, André Lotterer abrandou em pista, com o Porsche #1 a perder pressão de óleo. Lotterer tinha 13 voltas de vantagem para o Oreca #38, e tinha tempo para tentar levar o carro de volta às boxes, mas o seu esforço foi inútil. O abandono foi oficial para o líder da corrida. Inacreditável.

Isto deixou o Oreca da Jackie Chan DC Racing na frente, mas o Porsche #2, que chegou a ter 19 voltas de atraso, vinha ao ataque, a recuperar posições atrás de posições, e sendo o Porsche muito mais rápido do que o Oreca, até porque os LMP1 são muito mais rápidos do que os LMP2, era previsível que o carro alemão chegasse à liderança da corrida, mas foi por pouco. A ultrapassagem para a liderança foi consumada à entrada da última hora da corrida.

Foi por pouco, quase aparecia um vencedor inesperado de uma classe secundária, mas apesar de muitos problemas foi mesmo um LMP1 híbrido a vencer. Brendon Hartley, Earl Bamber e Timo Bernhard já pensavam que não teriam hipóteses de vencer a corrida, mas foram eles que deram à Porsche a 19ª vitória à geral nas 24 Horas de Le Mans, e a terceira consecutiva. Mais uma para o 919 Hybrid.

No segundo lugar da geral, e vencedor nos LMP2 foi o Oreca da Jackie Chan DC Racing, com Ho-Pin Tung, Thomas Laurent e Oliver Jarvis, que terminaram a apenas uma volta do Porsche. Este foi o melhor resultado de sempre de um LMP2, com o 3º lugar a ficar para o Oreca (#13) da Rebellion Racing, com Nelson Piquet, Jr., Mathias Beche e David Heinemeier Hansson, 2º entre os LMP2.

#97 ASTON MARTIN RACING / GBR / Aston Martin Vantage -Le Mans 24 Hour – Circuit des 24H du Mans – Le Mans – France

Nos LMGTE Pro, a corrida só ficou resolvida na última volta, depois de uma luta entre o Chevrolet Corvette C7.R (#63) de Jordan Taylor/Jan Magnussen/Antonio García e o Aston Martin Vantage GTE (#97) de Darren Turner/Jonathan Adam/Daniel Serra. O Chevrolet estava na frente mas o Aston Martin, pilotado por Adam, deu tudo por tudo, e depois de uma ultrapassagem falhada a três voltas do fim em Arnage, tudo parecia perdido, mas Taylor saiu em frente na segunda chicane em Mulsanne e acabou por desenvolver um furo lento, e à entrada da última volta o Aston Martin passou para a frente e o Chevrolet furou, caindo para o 3º lugar da classe. Vitória para o Aston Martin de Turner, Adam e Serra, no 18º lugar da geral.

Nos LMGTE Am, a vitória ficou nas mãos de Dries Vanthoor, Robert Smith e Will Stevens no Ferrari 488 GTE (#84) da JMW Motorsport, no 27º lugar da geral.

Entre os portugueses, Filipe Albuquerque esteve no Ligier JS P217 (#32) da United Autosports, dividindo a condução com William Owen e Hugo de Sadeleer, e terminou num excelente 6º lugar na geral, 5º na classe LMP2.
Ainda na LMP2, o Ligier JSP217 (#45) da equipa portuguesa Algarve Pro Racing, pilotado por Mark Patterson, Matt McMurry e Vincent Capillaire, terminou no 33º lugar na geral, 16º entre os LMP2.

Na classe LMGTE Am, mais dois portugueses. Pedro Lamy esteve no Aston Martin Vantage GTE (#98) com Paul Dalla Lana e Mathias Lauda estava na liderança da prova, mas à passagem da oitava hora de prova, um rebentamento de um pneu danificou bastante a frente do carro, e a equipa perdeu cinco voltas em reparações, terminando no 37º lugar da geral, 8º entre os LMGTE Am.
Finalmente, Álvaro Parente, que partilhou o seu Ferrari 488 GTE (#60) da Clearwater Racing com Richard Wee e Hiroki Katoh, acabou a corrida um pouco distante dos primeiros, no 41º lugar da geral, 11º entre os LMGTE Am.

 

Jorge Covas

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s