CNM – Os resultados da Rampa de Santa Marta

Pedro Salvador conseguiu este Domingo uma brilhante vitória na Rampa de Santa Marta, com um final de prova arrepiante, num fim-de- semana de muito calor nesta localidade transmontana. O piloto do Silver Car EF10 acabou por levar a melhor face a Rui Ramalho em Osella PA2000 Evo 2, que numa última subida de “faca nos dentes” bateu o recorde da rampa com o tempo de 1:43s380, para ficar a apenas 256 milésimas de Salvador. Os dois líderes absolutos e da Categoria 1, registaram os tempos totais de 3:26s992 (Pedro Salvador) e 3:27s248 (Rui Ramalho).

 

Na prova organizada pelo Clube Automóvel da Régua e pela Câmara Municipal de Santa Marta de Penaguião, o terceiro lugar final ficou na posse de João Fonseca em BRC CM05 Evo, com o piloto da Covilhã a vencer entre os CM, ficando na frente de Paulo Ramalho em Osella PA21S. Este último, depois de ter dado um toque na segunda subida de prova, completou a prova no quarto lugar final tanto em termos absolutos como na Categoria 1, onde Joaquim Rino em BRC CM05 Evo e Nuno Guimarães em BRC CM02, terminaram a prova na quinta e sexta posição respectivamente.

 

“Foi um resultado muito importante para nós e por isso saio satisfeito no final desta prova. Ainda assim continuamos com problemas no Silver Car e tive dificuldades em todas as subidas com o carro a falhar. Tive de arriscar muito para vencer, até porque depois dos pontos que perdi nas duas provas anteriores, era muito importante uma vitória aqui. É bom poder diminuir a distância para o líder do campeonato e provar que estamos aí na luta pelo título. Uma palavra de pesar pelas vítimas do terrível incêndio em Pedrogão Grande, a cujas famílias expresso as minhas sentidas condolências.” Disse Pedro Salvador.

 

Com um magnifico quinto lugar absoluto, Gonçalo Manahu (Porsche 997 GT3 Cup) esteve imparável na Categoria 2, completando a prova com o tempo final de 3:51s568. Em carro idêntico, Edgar Reis foi o segundo classificado na frente de José Correia em Nissan GT-R GT3.

“Sabia que tinha de vencer aqui e por isso dei tudo o que tinha para chegar ao final em primeiro. Preparei muito bem esta prova, que já venci o ano passado e o resultado final deixa- me naturalmente muito satisfeito. Andei na luta pelos quatro primeiros, reassumi a liderança do Campeonato, por isso melhor não poderia ter sido.” Assumiu Gonçalo Manahu.

Manuel Correia em Ford Fiesta R5+ venceu a luta particular que o opôs a Luis Silva em BMW M3, com o líder da Categoria 4 a cumprir as duas melhores subidas de prova em 3:56s044. O último lugar do pódio ficou na posse de Edgar Florindo em Toyota Carina E, que venceu o duelo particular que o opôs a Carlos Silva em Peugeot 106 e Nuno Pinto em Mazda MX5. Marco Guerra com o Peugeot 306 fechou o lote de pilotos classificados nesta categoria.

“Não foi uma vitória fácil, tive alguns problemas com o carro a partir da segunda subida de prova e isso condicionou-me um pouco em termos de andamento. Mesmo assim foi possível vencer e reforçar a minha liderança no campeonato e por isso estou muito satisfeito”. Revelou Manuel Correia.

Com 3:58s189, Joaquim Teixeira em Renault Megane Trophy V6 levou a melhor na Categoria 5,na frente de Francisco Marrão em SEAT Leon Supercopa. Jorge Meira, que foi forçado a abandonar na segunda subida de prova, devido a uma falha no alternador do Citroen Saxo, completou o pódio nesta categoria.

 

“A minha prestação deixou-me satisfeito, consegui cumprir o objectivo natural de vencer a categoria e lutar por outros objectivos como tentar ser o melhor dos turismos, que passa a ser uma forma de motivação para as provas que ainda faltam.“ Adiantou Joaquim Teixeira.

Triunfo na Categoria 3 Para Pedro Saraiva, com o homem do Mitsubishi Lancer Evo IX a completar as duas subidas de Domingo em 4:12s075, ele que não conseguiu terminar a primeira subida de prova devido a uma quebra da caixa de velocidades. João Guimarães em Peugeot 206 RC foi o segundo classificado na frente de Pedro Marques em SEAT Leon TDi. Ainda nesta categoria, José Oliveira colocou o Subaru Impresa na quarta posição final.

 

“Tivemos muitos problemas este fim-de- semana e por isso este triunfo foi um dos mais difíceis do ano. Ontem com a caixa de velocidades a partir não podemos concluir a subida, hoje tinha de acabar as duas e ser o mais rápido, consegui e por isso esta vitória é um justo prémio para toda a equipa e isso deixa-me muito satisfeito.” Referiu Pedro Saraiva.

Tiago Ribeiro lutou sozinho contra o cronómetro, para chegar ao final e vencer na Taça TCR/TCS, finalizando a prova com o seu VW Golf GTi no tempo total de 4:08s377.

 

“Foi de facto pena o facto de dos três inscritos só eu ter estado presente, mas mesmo assim saio satisfeito desta prova disputada perto da minha terra. Motivei-me com base nos tempos dos carros da categoria mais similar com o meu carro, a Categoria 5 e nesse aspecto consegui um bom resultado, o mesmo acontecendo em termos absolutos”. Disse Tiago Ribeiro.

Na Taça Nacional de Montanha, o triunfo não fugiu a Armando Freitas em Toyota Starlet 1.3, que conseguiu 4:36s544 para derrotar Leonel Brás em Citroen AX Sport. Na terceira posição ficou o Fiat Punto de Manuel Fernandes, seguido por Francisco Leite em carro idêntico e António Silva em Toyota Starlet. Pedro Cerqueira (Fiat Punto) fechou a tabela.

“Foi um triunfo saboroso e que acabei por tornar fácil com uma prestação sem erros e dando sempre o máximo. Estou de facto muito satisfeito, as coisas estão a correr-me bem”. Afirmou Armando Freitas.

Foi de excelente nível a luta pelo triunfo no Campeonato Nacional de Clássicos Montanha, com José Pedro Gomes em Ford Escort MKI a finalizar esta rampa como vencedor. Gomes conseguiu o tempo total de 4:19s295, batendo na última subida António Saínhas (Ford Escort MKI). Saínhas que liderava no final do dia de Sábado, não conseguiu contrariar o ataque do futuro vencedor. No derradeiro lugar do pódio ficou Parcídio Summavielle em Datsun 240Z.

“Tive de me aplicar ao máximo para ganhar, foi muito difícil chegar ao final da prova no primeiro lugar, já que a oposição foi forte e não em deu descanso. Estas são daquelas vitórias que sabem mesmo bem e compensam o esforço de uma prova disputada em condições difíceis.” Sintetizou José Pedro Gomes.

Com uma actuação de grande nível, Carlos Oliveira impôs o seu BMW 323i no Troféu Nacional de Clássicos Montanha, registando o tempo final de 4:23s681. O pódio ficou completo com a presença de Ricardo Loureiro em Ford Escort MKII e Carlos Fava em VW 1303S. Azar para Fernando Salgueiro, forçado a abandonar antes da segunda subida de prova, com problemas ao nível da embraiagem do Ford Escort MKII.

 

“Estou cada vez mais adaptado ao BMW e isso reflecte-se nos resultados conseguidos. Ontem ainda tive algumas dificuldades, mas em conjunto com a equipa conseguimos um bom acerto para o carro e por isso a vitória foi possível.” Sintetizou Carlos Oliveira.

Com um domínio absoluto, Aníbal Rolo triunfou no Troféu Nacional de Clássico 1300. O piloto do Datsun 1200 demorou 4:40s133 nas suas duas melhores subidas de prova, levando a melhor face a José Carlos Magalhães em Toyota Starlet e José Pedro Figueiredo em Datsun 1200. Domingos Fernandes em Autobianchi A112 foi o melhor entre os 1000cc.

“Gostei imenso de voltar a esta rampa muitos anos depois e voltar a vencer. Este traçado, diferente do antigo, é muito interessante e exigente, por isso vencer aqui foi muito bom.” Disse Aníbal Rolo.

Texto: RaceSpirit.pt

 

Fotos: Pedro Ferreira/Foto GTi

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s