F1 – O caso de Vettel no GP do Azerbaijão

Devido ao trabalho desenvolvido no Circuito de Vila Real não tivemos hipótese de seguir como habitualmente o GP do Azerbaijão em F1. No ano passado nem ligamos muito pois foi uma corrida algo sem sal, mas este ano aconteceu de tudo e terá sido provavelmente uma das mais emocionantes do ano.

O caso que está a falar é o de Hamiltom Vs Vettel em que à 17 volta, aquando da saída do Safety Car, Vettel bateu na traseira de Hamilton e num ataque de fúria colocou-se ao lado do britânico e deu um “chega pra lá” no carro do #44.

Muitos condenaram a acção de Vettel, outros apontaram o dedo a Hamilton mas no final o alemão apanhou com a “ripa” dos comissários com uma penalização grave … 10 segundos de paragem nas boxes, o que no total equivaleu a 30 segundos parado.

O que Vettel fez é feio, saiu-lhe caro, podia ter saído mais ainda e vamos ver o que a FIA decide dia 3, data em que vai ser levado a cabo um inquérito sobre o comportamento do piloto. O #5 já acumulou 9 pontos na sua licença, estando apenas a 3 de uma corrida de suspensão. Mas não estou certo que Hamilton tenha sido anjinho, ainda para mais o britânico que tem a fama (e o proveito) de saber fazer mind games dentro e fora de pista. Ele afirma que não fez o chamado “brake test”, quando um piloto trava inadvertidamente para provocar o piloto que segue atrás de si.  A FIA já viu os dados da telemetria e a Mercedes confirmou que não houve “Brake Test” e que a culpa do incidente foi toda de Vettel.

Pode não ter havido brake test, mas Hamilton, desacelerou o carro à saída da curva para assim ganhar vantagem sobre Vettel. Aliás, Hamilton tentou fazer o que todos os pilotos fazem… ganhar uma vantagem nem que seja mínima sobre o adversário. Naquele caso era Vettel que seguia atrás e o alemão menos germânico da história, ficou pouco impressionado com a manobra e perdeu a cabeça, respondendo como um verdadeiro latino. Vettel sabe que borrou a pintura e a sua reacção no final da corrida mostrava isso. Hamilton por seu lado fez o que se esperava… meteu a aureola de santo e apontou o dedo a Vettel. O mesmo que na corrida pediu para a equipa fazer Bottas esperar por ele para tentar passar Vettel… entre outras coisas no passado. Uma coisa é certa, nenhum dos dois é santo!

O que venho tentar fazer é defender o piloto que não tem defesa possível… Vettel. E não vou defender o que ele fez em pista pois não tem defesa possível. Caiu na “armadilha” como um pato e no final não soube defender-se, mas venho defender a postura do piloto. Vettel tem sido um dos principais responsáveis pela animação do campeonato de 2017. Ingressou em 2015 na Ferrari e a forma como se integrou na equipa foi fantástica. A Scuderia, que vinha de uma fase menos positiva, viu uma luz de esperança com a entrada do campeão alemão. 2016 foi um ano mais difícil mas serviu para que 2017 pudesse ser o ano do verdadeiro desafio da Ferrari à Mercedes. E o impulsionador dessa mudança foi Vettel.

Mais ainda, Vettel é um dos pilotos que mais importância tem dentro e fora de pista. Vettel tem sentido de humor, e acima de tudo é dos poucos pilotos verdadeiramente genuíno a par de Ricciardo. As reacções que ele tem são provavelmente as reacções que qualquer um de nós teria. E o que interessa se ele tem 4 campeonato do mundo? Já vimos grandes campeões fazer coisas iguais ou piores e não foi por isso que os deixamos de admirar. E nem me venham com a história de eles terem de ser um exemplo para os outros condutores. Eu conduzo há mais de 10 anos e nunca me passou pela cabeça tentar imitar qualquer piloto de F1 que seja. E em relação aos miúdos que podem adoptar a mesma postura na competição, parece me também exagerado. Vettel tem mostrado uma faceta bastante irritável em pista mas a mim não me causa confusão. Gosto de ver pilotos assim… é sinal que aquilo a corrida está “brava” e eles têm de dar o máximo e já se sabe que nessas condições é difícil manter o sangue frio.

A F1 está a voltar a um excelente nível… boas corridas, muita emoção e agora junta-se o drama. A  rivalidade saudável que se vivia até agora vai passar a ser mais feroz e dura. Vettel é muito diferente de Rosberg e a sua forma de ser mais sincera (as vezes em demasia) irá dar um novo colorido à luta pelo titulo, ele que não tem medo de arriscar para chegar onde quer, mas que desta vez não terá a estrutura Red Bull para o proteger. Hamilton tem usado e abusado dos jogos mentais mas agora o adversário é outro. Os ingredientes para que este ano seja animado estão agora reunidos e no ponto.

 

Se a FIA resolver penalizar ainda mais Vettel não vamos poder dizer que é injusto mas para bem do campeonato esperamos que não aconteça. Estávamos fartos de uma F1 politicamente correcta e demasiado higiénica e se penalizarem Vettel vão estar a castrar uma parte importante do espectáculo que era o segredo dos anos 80. Somos completamente contra manobras perigosas  que ponham em causa a vida dos pilotos… mas a 60, dar um “chega pra lá” em Hamilton, admito que para além da enorme surpresa esbocei um ligeiro sorriso e pensei “este gajo é maluco!”. E por ter sido tão puro e honesto naquele acesso de fúria se calhar vou estar ligeiramente mais vermelho para o resto da época. O homem já foi penalizado, está a 3 pontos de uma suspensão e sabe que não pode voltar a fazer aquilo. Vamos lá a mais uma batalha pois queremos ver quem é o melhor e mais forte em pista.

 

Fábio Mendes

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s