F1 – GP da Grã-Bretanha: Hamilton calou os críticos e voou em Silverstone

Depois da polémica da falta de comparência ao festival em Londres ( que realmente não ficou muito bem ao piloto), Hamilton justificou a falta fazendo uma volta canhão em condições difíceis. O tri-campeão está forte e é um sério candidato a vitória amanhã.

 

Na FP3, Hamilton sucedeu a Bottas no topo da tabela com Vettel bem perto, o que mostrava que a qualificação iria ser renhida. Além disso, o verão inglês resolveu aparecer e chuva obrigou as equipas a colocar as borrachas intermédias em pista. Hulkenberg mostrava estar em forma, assim como Grosjean e os McLaren, com pista molhada, mostravam outros argumentos (aquele chassis com um motor decente seria um caso sério).

 

 

Q1

Para esta qualificação havia 3 homens que sabia que teriam de fazer um esforço inglório. Bottas e Ricciardo vão ter 5 lugares de penalização por troca de caixa e Alonso vai largar de França com a troca de quase todos os componentes da unidade motriz.

As primeiras voltas à pista foram de teste, com a Sauber e a Force a experimentar os super-macios enquanto a maioria ia já com os “inters” para a pista. Quem escolheu slicks depressa se arrependeu e tratou de mudar. Pouco tempo depois Ricciardo aparecia estacionado na beira da pista, com problemas na sua unidade motriz, isto depois de ter feito o melhor tempo até então.

Os Red Bull pareciam mais à vontade nestas condições e Verstappen imitou o seu colega de equipa com o melhor tempo na tabela, seguido de Hamilton, Bottas e Hulkenberg, que estava de novo a mostrar serviço (que piloto!). A Q1 atingiu o climax quando Alonso optou por uma troca de última hora de pneus, passando para os super-soft e com isso cruzou a linha de meta no limite para fazer a última volta lançada, que lhe valeu o melhor tempo dessa sessão. Um momento emocionante em que o espanhol mostrou a sua qualidade (como se alguém precisasse desta confirmação).

De fora ficavam Stroll, Magnussen, Wehrlein, Ericsson e Ricciardo.

 

Q2

A Q2 já apresentava condições para rodar apenas com pneus para piso seco e enquanto todos saíram com os super-soft, Bottas tentava fazer o seu tempo com os Soft, de forma a conseguir ter uma estratégia alternativa para amanhã ( os pilotos do top10 são obrigados a sair com os pneus que fizeram o melhor tempo na Q2).

Hamilton mostrava-se  e fazia o melhor tempo, seguido de Bottas e Vettel. Vettel queixou-se de Perez, afirmando que o mexicano o atrapalhou na sua volta lançada mas nada foi feito em relação a isso.

A Williams apresentava-se em fraca forma, com Massa a não conseguir ficar perto sequer do top10 e Grosejan reservava o melhor para o final. Quem continuava a dar nas vistas era Hulkenberg que continuava no top 5 e a fazer excelentes voltas.

No final da sessão ficavam de fora Palmer, Kvyat, Alonso (que foi pela ficou atrás de Vandoorne na qualificação), Sainz e Massa.

 

Q3

A sessão decisiva parecia pender para a Mercedes, mais especificamente para Hamilton, algo que se confirmou na primeira volta lançada em que o tri-campeão desmoralizou toda a gente com um tempo brutal. Seguiam-se Vettel, Bottas e Raikkonen.

Na segunda tentativa o #44 tratou de baixar ainda mais a sua marca e Raikkonen fez melhor que Vettel arrecadando a segunda posição. à frente de Vettel e Bottas. Verstappen, Hulkenberg, Perez, Ocon,Vandoorne,  Grosjean e fechavam o top 10.

 

 

Destaques

Hamilton – Não tem medo de polémicas e quando é preciso mostrar serviço não falha. Está perto de bater outro recorde e em casa foi rei e senhor. Demorou até encontrar o ritmo certo mas na Q3 foi imbatível e amanhã tem tudo para encurtar distâncias para Vettel

 

Vettel – Queixou-se que a equipa o colocou numa posição difícil em pista e por isso não melhorou o registo. Sai da segunda linha da grelha e terá uma tarde de muito trabalho para minimizar perdas ou até tentar superar Hamilton. Raikkonen foi o homem em destaque na Ferrari mas deverá ceder o seu lugar a Vettel em corrida.

Hulkenberg – Se a Renault pode agradecer a alguém é a Hulk. Que o homem era bom piloto não tínhamos dúvidas, mas o que ele fez hoje foi digno de nota. Sempre nos melhores tempos e sempre muito rápido. É piloto para ganhar títulos.

 

Red Bull – Os problemas técnicos continuam a suceder-se e desta vez foi Ricciardo o azarado. A equipa prepara um novo pacote de melhorias para a Hungria mas estão ainda a 0.7 seg. da Mercedes. Este fim de semana não se espera nada de espantoso, a não ser que chova e Max resolva recriar Interlagos 2016.

 

Force India – Continuam a mostrar muita regularidade e muita qualidade. É rara a vez que não vão à Q3 e têm novamente hipóteses de brilhar, desta vez em casa. Investimento inteligente, dois bons pilotos, um chassis bem pensado e equilibrado, um bom motor. A Force continua a mostrar como se faz.

Vandoorne – Finalmente melhor que Alonso. O rapaz tem muita qualidade mas chegou a equipa numa fase difícil. Hoje mostrou um pouco mais do que pode e deve fazer. Este é um talento para o futuro e que merece um motor competitivo para mostrar que não fica atrás de Verstappen e Ocon.

 

Williams – Uma péssima qualificação e poucos argumentos para tentar contrariar isso no fim de semana. Será que as mudanças que serão feitas hoje permitirão melhorar o ritmo para a corrida?

 

Alonso – Aquela última volta na Q1… O homem pode ter todos os defeitos do mundo mas tem um talento que mete respeito. Ainda é um dos melhores e tem ainda muito para dar.

 

Fotos – retiradas das páginas de facebook das equipas e da F1

Fábio Mendes

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s