F1 – GP da Bélgica: Hamilton festeja a 200ª da melhor forma

Uma corrida interessante e embora não recheada de grandes ultrapassagens, teve os ingredientes necessários para nos manter agarrados.

Lewis Hamilton venceu a corrida mas esteve sempre sob a pressão de Vettel, que não o largou durante a corrida toda. Kimi com uma penalização e Bottas com um erro perderam a vaga para o pódio que sobrou para o homem do costume… Ricciardo aproveitou novamente as sobras e compensou o azar de Verstappen.

A largada teve como grande destaque Alonso, que conseguiu subir de 10º para 7º enquanto à sua frente as batalhas eram ferozes mas as posições mantinham-se inalteradas.

O primeiro grande duelo da tarde foi entre Hulkenberg e Alonso e parecia que o espanhol tinha argumentos para aguentar o Renault mas passado 3 voltas de boas ultrapassagens entre ambos, a máquina do espanhol claudicou e Alonso ficou sem potência suficiente para seguir o ritmo de Hulk, sendo ultrapassado pouco depois por Ocon, com os 3 pilotos a estarem lado a lado a certa altura.

Na frente Vettel apertava Hamilton mas este aguentava o ritmo e ficava na frente o suficiente para não ser incomodado.

Enquanto Perez recuperava de um toque na entrada de Eau Rouge com o seu colega de equipa, sem culpa para ambos, Wehrlein era obrigado a desistir da corrida.

Na volta 8 Verstappen voltou a ser rasteirado pelo azar e o seu motor resolveu não continuar a corrida.

Seguiram-se as primeiras paragens nas boxes onde ninguém conseguiu uma clara vantagem e a Mercedes resolveu não arriscar e parar primeiro, uma vez que os Ferrari pareciam confortáveis com as borrachas.

No meio da tabela os Force India tinham uma boa batalha com os Toro Rosso e o Haas de Grosjean.

Um dos momentos que decidiu a tarde foi a dura penalização de Kimi com 10 seg. Stop & Go por não ter respeitado as bandeiras amarelas (de facto não tirou o pé do acelerador). Outra penalização foi dada a Perez (5 seg) por ter cortado uma curva depois de uma brilhante ultrapassagem.

 

Na volta 27 Alonso estacionava o seu carro e não viu a borrada dos homens da Force na volta 30, onde Perez não deu espaço a Ocon que tinha acabado de parar. O toque resultou numa asa partida para Ocon e um pneu rebentado para Perez, obrigando a entrada do SC.

As equipas aproveitaram para parar e trocar de pneus e os Ferrari a aproveitar e calçar os pneus mais macios para o ataque final. No recomeço da corrida Vettel quase conseguia passar Hamilton mas sem sucesso e atrás Ricciardo aproveitava para passar Bottas, assim como Raikkonen, que recuperava da penalização de forma excelente.

Até ao final não houve mais nenhum apontamento de relevo e Hamilton controlou a corrida arrecadando a vitória.

 

 

Destaques

 

Hamilton – dominou o fim de semana e foi o mais rápido tanto em qualificação como em corrida. Aguentou Vettel, mesmo com os pneus mais duros e apenas no recomeço a seguir ao SC teve a posição em perigo. Excelente forma de festejar a 68ª pole e a 200ª corrida na F1. A luta está ao rubro.

Vettel – lutou como pôde mas Hamilton estava um nível acima. Foi eficiente e manteve-se na liderança do campeonato.

Ricciardo – não falha e está sempre no sitio certo para aproveitar os deslizes alheios. Voltou a subir ao pódio e é graças a ele que a Red Bull se mantém confortável na 3ª posição.

Alonso e Verstappen – dois dos melhores pilotos do grid… tão bons que até o azar tem dificuldade em deixar de querer ver o talento deles de perto, o que resulta invariavelmente em desistências. Max queria dar um mimo aos seus fãs e Alonso estava com vontade de mostrar trabalho. Se houvesse vagas na Mercedes e na Ferrari o mais provável seria eles fazerem tudo por tudo para mudar de equipa mas da forma como o campeonato está, terão de ficar nas respectivas equipas se quiserem ter uma hipóteses de vencer a curto prazo.

 

Force India – pensávamos que tinham aprendido a lição em Baku mas hoje voltaram a fazer asneira. Desta vez Perez terá de ficar com as responsabilidades. Se no primeiro toque a culpa não é de ninguém e foi um incidente de corrida, no segundo o mexicano não podia ter fechado a porta daquela maneira, ainda para mais a um colega de equipa. Acabou-se a brincadeira e a equipa não vai permitir mais que eles lutem entre si. Podia ter sido um fim de semana excelente para cimentar o 4º lugar.

Williams – fizeram festa quando os Force se embrulharam. Massa recuperou muito bem e conseguiu uns pontos preciosos. A luta pelo 4º lugar podia ter ficado sentenciada hoje mas ainda há esperança para a equipa recuperar… se evoluir o carro.

Raikkonen – pagou caro por não ter levantado  o pé quando viu bandeiras vermelhas, mas a recuperação que fez merece destaque.

Hulkenberg – mais uma exibição sólida e mais um punhado de pontos para a equipa. É o piloto certo para a Renault e continua a mostrar isso mesmo.

 

Fábio Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.