CNVT – Último dia de provas trouxe a melhor corrida do ano

O CNVT/TCR Ibérico/TCR Portugal chegou ao fim. No último dia do campeonato, uma surpresa. A corrida 4 foi apenas a melhor do ano, com os 3 primeiros classificados a terminarem colados uns aos outros. Mas como dizia Jack, O Estripador, “vamos por partes”.

Na corrida 3, Rafael Lobato e Francisco Abreu mereceram todas as atenções numa lute dura pela vitória. Essa luta só terminou com a penalização a Abreu, por se exceder na luta pela posição, que o levou muito perto do fim a um Drive through. O madeirense perdeu a oportunidade de subir novamente ao pódio e foi 5º, atrás de Cautela, Florindo e Leitão, que por sua vez também deram espectáculo na luta pelo pódio. Armando Parente venceu nos TCR2.

Os 3 piloto beneficiaram com a penalização a Abreu, com Cautela a passar na última vez na meta em 2º e Florindo em 3º, no entanto Cautela foi penalizado após a corrida e Florindo herdou a posição, com Ricardo Leitão em 3º.

Rafael Lobato terminava a corrida isolado na liderança e vencia a sua última corrida do ano. “Foi uma corrida complicada, comecei mal, fiz um mau arranque. No início estava em terceiro lugar, mas pouco depois passei para a liderança. No início estava ligeiramente mais lento que o Francisco Abreu e andei a defender, ainda fizemos duas voltas praticamente lado a lado. Foi uma grande corrida, depois houve um ligeiro toque no gancho interior, quando ele passa para a liderança e pouco depois ele é penalizado por um drive truth, não sei se foi disso, não consegui perceber porquê. Passei para a liderança novamente. Depois foi gerir a corrida até ao fim e também poupar os pneus para o Patrick Cunha que irá participar na corrida quatro.”

foto: Racing Weekend

 

Na corrida 4, Patrick Cunha saía da pole, mas na largada não aguentou Edgar Florindo. O piloto de Vila Real, juntamente com Manuel Gião e Francisco Abreu, saltou para a frente da corrida. O trio deu emoção à corrida, com constantes trocas de posições. Florindo foi o mais feliz, tendo liderado da volta 1 até à volta 11, a última da corrida. Abreu terminou na 2ª posição e Gião na 3ª. João Sousa venceu nos TCR2.

As constantes trocas de posições, tanto na frente como nas luta pelo 4º lugar, fez com que esta fosse uma das melhores, se não a melhor, corrida do ano. Vários toques e os pilotos muito competitivos, fazem corridas que merecem ser vistas… se não for ao vivo, pelo menos que seja online ou via TV.

Para Florindo, “esta foi a corrida mais espectacular do campeonato. Fico feliz por ter sido protagonista e ter ganho a corrida mais animada do ano, foi uma luta fortíssima desde o arranque.”

foto: Racing Weekend

No final do ano, Francisco Mora, que quase nem competiu no Algarve, foi o campeoão do TCR Portugal/CNVT e Francisco Abreu o vencedor do TCR Ibérico.

Pedro Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.