5 motivos para ver o WTCC em Vila Real

Todos terão os seus motivos para ver as corridas de Vila Real. E todos são válidos! Mas depois de muita… vá, alguma ponderação, escolhemos as 5 razões mais fortes para não perder o 47º Circuito Internacional de Vila Real.

 

1# – Vila Real

Só este é motivo suficiente para ver ao vivo ou em casa as corridas do WTCC. Vila Real tem história, tem carácter e tem paixão. Em 2015 a velocidade e a exigência do traçado surpreendeu os pilotos do mundial de turismos, mas o calor humano dos fãs conquistou a organização do campeonato. Em 2016 a paixão pelas corridas ficou marcada para sempre com as imagens inesquecíveis de Monteiro a cantar a portuguesa com milhares de fãs. Alguns poderão acusar a pista de ser demasiado estreita e de não permitir muitas ultrapassagens, mas num mundo que vive obcecado por números e estatísticas, muitos se esquecem da beleza que é ver carros a rodarem a mais de 200, onde o limite legal é de 50. Poucos valorizam o talento e a concentração necessárias para não falhar num traçado técnico e muito rápido, onde normalmente se corre debaixo de um sol abrasador, cujos efeitos nas temperaturas dentro dos carros são dramáticos. Nesta pista não há margem para deslizes… qualquer falha é “paga” nos rails. Aqui os pilotos voltam a ser heróis destemidos e aclamados. Além disso, Vila Real sabe receber bem. O espírito de comunhão nas bancadas e pela cidade é algo indescritível mas que aconselhamos vivamente. Vila Real é muito mais que um conjunto de curvas apetecíveis (e não estamos a falar apenas das pit girls)! Foi considerado numa votação do site da Red Bull o melhor citadino do mundo. Não podíamos estar mais de acordo!

2# – Tiago Monteiro

Um dos melhores pilotos portugueses, com um currículo invejável e unanimemente considerado um dos melhores pilotos do campeonato. Tiago Monteiro tem elevado a bandeira portuguesa nos quatro cantos do mundo e até já a conseguiu colocar num pódio da Fórmula 1. 2017 é um ano fulcral para Monteiro… Está numa forma notável, tem finalmente uma máquina competitiva, que lhe permite lutar pelos primeiros lugares da tabela de forma regular. Monteiro começou esta época a todo o gás e construiu uma vantagem animadora nas 3 primeiras jornadas, esforço que foi arrasado pelo maldito furo em Nordschleife (outra vez!). Um golpe tremendo nas aspirações do piloto da Honda, mas que nem por isso o faz desistir. Depois da tempestade vem a bonança e Monteiro tentará responder ao azar, em sua casa, perante o seu público. E se já vimos Portugal ganhar o europeu de futebol e a Eurovisão, podemos sonhar em ver um piloto campeão do mundo FIA. Há talento, há máquina e há muita motivação. Vila Real terá um factor extra… o apoio incansável dos fãs que encherão a cidade na esperança de voltar a cantar o hino nacional com Monteiro.

 

3# – Manuel Pedro Fernandes

Foi uma surpresa de última hora, mas surpresas destas são sempre bem-vindas. Manuel Pedro Fernandes tentou em 2015 competir no WTCC mas tal não aconteceu. Em 2016 arrasou literalmente os adversários no ETCC e mostrou que em Vila Real mandam “os da casa” (já diz o ditado, “Para lá do Marão…”). Em 2017 a oportunidade para fazer o WTCC surgiu e Manuel Pedro vai finalmente cumprir um sonho seu e de muitos vilarealenses. O piloto não quer colocar objectivos e apenas pretende dar o melhor de si, sem pressão nem metas (no ano passado o ETCC também foi assim e correu muito bem). Claro que o Lada Vesta não é uma máquina de topo e que Manuel Pedro irá sentar-se pela primeira vez no carro no sábado. Um grande desafio para o qual ajudará a experiência que teve no Chevrolet Cruze em 2015. Só o facto de ver um piloto da casa em pista será motivo de orgulho, mas no fundo todos esperamos que o talento, o conhecimento da pista e uma ponta de sorte nos permita ver mais. No entanto o nome Manuel Fernandes volta a estar presente num campeonato de topo, tal como no ano passado e como há muitos anos. Acreditamos que lá em cima, Manuel Fernandes esteja orgulhoso do seu filho.

4# – Luta pelos primeiros lugares

Nem só de Tiago Monteiro ou de Manuel Pedro Fernandes o WTCC é feito e há pilotos que vêm para Vila Real com a clara intenção de estragar a festa aos da casa. Neste caso falamos de Nick Catsburg e Thed Bjork. Os homens da Volvo são os principais adversários de Monteiro no campeonato e não podem deixar que o português volte à liderança. Catsburg tem feito da regularidade a chave do seu sucesso, assim como Bjork, mas há mais pilotos com vontade de se juntar à festa. Chilton, Huff e Bennani estão a poucos pontos do 1º lugar e poderão também ter uma palavra a dizer no desfecho do campeonato. Catsburg tem-se dado mal com os ares portugueses e no ano passado a Volvo esteve abaixo do que era esperado, mas tanto o piloto como a equipa estão em forma. Chilton gosta da pista mas ainda não mostrou capacidade para a domar, tal como Bennani e ambos têm vontade de contrariar a tendência. Huff é um especialista dos citadinos (não é por acaso que o chamam de” Sr. Macau”) e no ano passado fez a volta mais rápida em corrida. Quem levará a melhor em Vila Real? Acreditamos que Monteiro tem algum favoritismo mas a concorrência é forte… muito forte! Ah e já agora… não se esqueçam também do Girolami!

5# – Joker Lap

Outra grande novidade para esta edição do Circuito Internacional de Vila Real. A organização do WTCC resolveu apimentar as coisas com a criação de uma Joker Lap, adoptando um conceito do Rallycross. Basicamente a ideia é ter um pedaço de pista extra, onde os pilotos terão de passar pelo menos uma vez (perdendo cerca de 2 segundos) e assim tornar a corrida mais imprevisível. A ideia era para ser implementada nos traçados citadinos mas Marraquexe é um circuito semi-permanente e Macau não tem hipótese de fazer , o que significa que a Joker Lap será um exclusivo de Vila Real. Se é boa ideia ou não? É complicado de responder, pois tal nunca foi testado. É verdade que vai trazer incerteza e se calhar propiciar alguns erros dos pilotos. Não somos contra dificultar a vida aos pilotos pois se são os melhores têm de se “aguentar”, mas há pormenores que podem tornar a ideia algo perigosa demais. O ideal era testar a solução antes de a implementar mas não há hipótese de o fazer por isso, teremos de avaliar no dia das provas se a novidade é boa ou não.

 

 

Fábio Mendes

Chicane Motores / Purple Profile – New Media Agency

Anúncios

2 pensamentos sobre “5 motivos para ver o WTCC em Vila Real

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s