NASCAR Sprint Cup Series – Sylvania 300

 

Twitter92adac4Pela segunda vez esta temporada, a NASCAR passou pela oval técnica de New Hampshire, para a segunda corrida da Chase for the Sprint Cup, e a segunda corrida da primeira ronda de eliminação.

Carl Edwards (#19) assinou a pole posiiton, com Kevin Harvick (#4) ao seu lado. Harvick precisava de um bom resultado depois do abandono na semana passada. Na segunda linha estavam Kurt Busch (#41) e Brad Keselowski (#2).

Carl Edwards começou na frente, mas em pouco mais de 10 voltas Kevin Harvick apanhou-o e passou-o na volta 20, depois de um ligeiro toque. Edwards acabou por perder algum ritmo e caiu para o 4º lugar.
A partir daqui, Harvick iria estabelecer um domínio arrasador na corrida.

A primeira bandeira amarela apareceu na volta 37 quando Aric Almirola (#43) bateu no muro na curva 1.
Os líderes pararam e Kevin Harvick manteve a liderança, seguido por Brad Keselowski.

Recomeço na volta 44, com Harvick na frente. Quatro voltas depois, nova bandeira amarela, com Landon Cassill (#40) aparentemente a partir o motor e a deixar óleo na pista, mas Cassill prosseguiu. O problema acabou por ser da perda de direção assistida.
Novo recomeço na volta 53, e Harvick mantinha-se imperturbável na frente, rapidamente ganhando vantagem para Keselowski, até que na volta 60 aparece mais uma bandeira amarela, com Tony Stewart (#14) a rebentar um pneu depois de um toque com Martin Truex, Jr. (#78), mas conseguiu evitar um toque no muro.

Bandeira verde na volta 65. Desta vez, o período de bandeira amarela foi mais longo e Harvick rapidamente construiu uma vantagem sólida para Keselowski, que se mantinha tranquilamente no 2º lugar.

A corrida manteve-se calma até à volta 120. Alex Bowman (#7) trouxe a quarta bandeira amarela depois de bater no muro em resultado de um acelerador preso.
As paragens nas boxes não mudaram a ordem de passagem, com Harvick na frente de Keselowski e de Jimmie Johnson (#48), que subia ao 3º lugar.

No recomeço, Harvick voltou a escapar do pelotão. Kyle Busch (#18) ganhava três posições para subir a 6º e Johnson tinha dificuldades com a pressão dos pneus e caiu para 9º.

foto: Jeff Zelevansky
foto: Jeff Zelevansky

Na volta 158, Kyle Busch teve problemas. O piloto da Joe Gibbs Racing rebentou o pneu dianteiro-direito e bateu no muro, ficando com alguns estragos no seu carro. Busch voltou à corrida, mas para terminar apenas no 37º lugar.
Mais uma vez, Harvick não teve dificuldades na paragem e ficou na frente, trocando dois pneus, numa estratégia que poucos decidiram copiar. Carl Edwards, o primeiro líder da corrida, saiu das boxes com a lata do combustível ainda no seu carro e foi penalizado.

Recomeço na volta 165, com Harvick mais uma vez a afastar-se do pelotão, seguido por Keselowski e por Matt Kenseth (#20). Harvick não tinha problemas com apenas dois pneus novos.

Na volta 192, nova bandeira amarela, agora por detritos nas curvas 3 e 4.
Desta vez, houve muita variedade de estratégias nas boxes. Matt Kenseth, Jimmie Johnson, Joey Logano (#22), Dale Earnhardt, Jr. (#88), Clint Bowyer (#15) e Tony Stewart (#14) trocaram dois pneus e ficaram na frente da corrida.
Kevin Harvick era 7º, e o melhor dos que trocaram quatro pneus.

Recomeço de corrida na volta 197. Kenseth teve um grande arranque e ficou na frente, com Johnson a ter dificuldades e a perder uma posição para Earnhardt, Jr.
Mais atrás, Keselowski e Harvick lutavam para subir posições, e o piloto da Penske liderava o ataque dos pilotos que tinham quatro pneus.
Jimmie Johnson rebentou um pneu na volta 200, mas a NASCAR não fez sair a bandeira amarela. Johnson estava agora muito pressionado para recuperar uma volta de atraso e para fazer um bom resultado com apenas 100 voltas para o fim da corrida.

Quatro voltas depois, acontece um pião de Danica Patrick (#10) na curva 1, depois de um toque de Ryan Newman (#31). Patrick bateu no muro, veio para baixo e David Ragan (#55) bateu violentamente na traseira do Chevrolet. Por incrível que pareça, Danica conseguiu retirar o carro daquela posição.
A bandeira vermelha foi mostrada para a pista ser limpa, que durou pouco mais de cinco minutos.

No recomeço, na volta 210, Kenseth voltou a arrancar bem, mas Kevin Harvick vinha já no 2º lugar, passando Dale Earnhardt, Jr., que teve um recomeço menos positivo.
Com quatro pneus novos, Harvick passou Kenseth na volta seguinte na curva 3, e foi na altura certa, porque Brett Moffitt (#34) fez logo um pião que trouxe uma bandeira amarela.
Jimmie Johnson recebeu o “free pass” e regressou à volta do líder.

Nesta paragem nas boxes a variedade de estratégias foi ainda maior, com Brad Keselowski a sair na frente de Kurt Busch e Kevin Harvick, que apenas colocaram combustível. Harvick perdeu tempo porque quase batia em Kyle Larson (#42).
Poucos pilotos trocaram pneus, e foram dois na maioria dos casos, como Dale Earnhardt, Jr.
Matt Kenseth, Denny Hamlin (#11) e Jamie McMurray (#1) foram alguns que não pararam nas boxes e ficaram na frente.

Recomeço na volta 215. Kenseth liderava na frente de Hamlin e de Jamie McMurray (#1).
Hamlin decidiu que era hora de atacar, e passou para a frente de Kenseth na volta 218, passando a ser o novo líder.
Mais atrás, Keselowski era 5º, e aproximava-se devagar dos carros à frente, tal como Harvick.

foto: Jeff Zelevansky
foto: Jeff Zelevansky

A nona situação de bandeiras amarelas surgiu na volta 237. Justin Allgaier (#51) bateu no muro na curva 3, depois de rebentar um pneu.
Os pilotos que não pararam na última amarela, e os pilotos fora do Top 10 pararam nesta, exceto Greg Biffle (#16), que tentava chegar ao fim sem parar, e que passava a ser o novo líder. O melhor
Keselowski, Harvick, Kurt Busch e Edwards foram alguns dos que não pararam nesta amarela.

Recomeço a 58 voltas do fim. Apesar das dificuldades, um empurrão de Kurt Busch ajudou Biffle a ficar na frente de Keselowski.
Biffle fez um grande esforço para manter os adversários atrás durante algumas voltas.
As hipóteses de Brad Keselowski vencer esta corrida esfumaram-se quando recebeu uma bandeira preta (na NASCAR equivale a uma penalização nas boxes, ou a um problema mecânico, enquanto que em outras categorias é uma desqualificação) a 55 voltas do fim por ter cometido uma infração no recomeço, e isto deu-lhe uma penalização, um “drive through”, apesar de ter ficado na volta do líder, mas agora no 25º lugar.
Na repetição, vê-se que Keselowski arrancou ligeiramente mais cedo do que Biffle na caixa de recomeço.

A liderança de Biffle durou até à volta 251, quando Harvick atacou na curva 1, e concretizou a ultrapassagem na curva 3. O grande dominador na primeira parte da corrida voltava ao comando da prova, e começava a poupar combustível para chegar tranquilamente até ao fim.
Biffle perdeu rapidamente posições para Hamlin e para Kenseth, e com estes dois sem problemas de combustível, atacaram ao máximo e chegaram-se muito rapidamente à traseira de Harvick a 40 voltas do fim.
Em vez de atacarem Harvick, os dois pilotos da Joe Gibbs passaram a lutar pelo 2º lugar, e Kenseth subiu ao 2º lugar a 27 voltas do fim.

Kenseth foi atrás de Harvick, que tentava poupar mais combustível, até porque tinha parado a 88 voltas do fim, e estava um pouco apertado nesse capítulo, mas a diferença mantinha-se estabilizada em menos de um segundo.

Harvick esforçou-se, fez tudo para poupar combustível e ganhar a corrida, mas o esforço foi em vão porque ficou sem combustível a três voltas do fim, e foi forçado a parar.
Harvick não foi o único a ficar sem combustível. Dale Earnhardt, Jr. e Kurt Busch também tiveram o mesmo destino.

Kenseth não se importou com o azar de Harvick e venceu a corrida. Kenseth provou que não foi preciso ser o mais rápido, mas sim o mais inteligente na estratégia e o mais consistente.
Com esta 5ª vitória da temporada, Kenseth está qualificado para a segunda fase de eliminação, juntando-se a Denny Hamlin e estará tranquilo em Dover.

Denny Hamlin, curiosamente, terminou no 2º lugar, com Joey Logano a chegar no 3º lugar depois de ter perdido tempo com uma má paragem nas boxes.

Greg Biffle fez umas incríveis 94 voltas sem parar e acabou num excelente 4º lugar, na frente de Carl Edwards que recuperou bem de uma penalização.

Jimmie Johnson recuperou do furo e da volta de atraso para ser 6º, Jeff Gordon (#24), que passou a ser o piloto com mais corridas consecutivas na NASCAR, com 788, foi um despercebido 7º classificado, mas colecionando pontos importantes para a qualificação para a próxima ronda.
Martin Truex, Jr. jogou com várias estratégias durante a corrida e apareceu no final no 8º lugar, Kasey Kahne (#5) foi 9º e Ryan Newman (#31) conseguiu um 10º lugar.

Keselowski fez o seu melhor para se manter calmo depois de ser penalizado numa altura crucial na corrida e acabou no 12º lugar, atrás de Tony Stewart, que escapou bem do seu furo.

Quanto aos outros pilotos na Chase, Jamie McMurray foi 14º, na frente de Paul Menard (#27), em ambos continuam na luta pela entrada na próxima fase.
Kurt Busch, que ficou sem combustível, foi 19º. Kevin Harvick acabou no 21º lugar, e está com um grande problema para resolver em Dover, numa pista onde nunca venceu, e terá que recuperar 23 pontos se não conseguir vencer a corrida. É uma missão muito espinhosa para o campeão em título.
Dale Earnhardt, Jr. também ficou atrasado sem combustível, no 25º lugar, e está no último lugar de qualificação, pelo que Dale vai ter que atacar em Dover.
Clint Bowyer (#15) que, juntamente com a equipa, teve uma dura penalização que lhe custou 25 pontos por uma infração técnica em Chicago, foi apenas 26º, e está praticamente arredado da próxima fase.
Finalmente, Kyle Busch foi passando alguns carros que ficavam fora de prova e chegou no 37º lugar, ganhando sete pontos, mas está neste momento fora da Chase, e vai ter trabalho extra em Dover.

A situação na Chase está ao rubro, com muitos pilotos inseguros sobre a sua continuidade na Chase. É de relembrar que todos os pilotos na Chase podem qualificar-se para a próxima fase com uma vitória em Dover.

 

Link para a classificação final: http://www.jayski.com/stats/2015/pdfs/28nhms2015results.pdf

Fica aqui a classificação:

1º – Matt Kenseth (#20) – 2099 pontos (já qualificado)
2º – Denny Hamlin (#11) – 2093 pontos (-3) (já qualificado)
3º – Carl Edwards (#19) – 2089 pontos (-10)
4º – Joey Logano (#22) – 2089 pontos (-10)
5º – Jimmie Johnson (#48) – 2083 pontos (-16)
6º – Ryan Newman (#31) – 2074 pontos (-25)
7º – Kurt Busch (#41) – 2073 pontos (-26)
8º – Brad Keselowski (#2) – 2072 pontos (-27)
9º – Martin Truex, Jr. (#78) – 2071 pontos (-28)
10º – Jeff Gordon (#24) – 2068 pontos (-31)
11º – Jamie McMurray (#1) – 2058 pontos (-41)
12º – Dale Earnhardt, Jr. (#88) – 2057 pontos (-42)

Neste momento fora da Chase

13º – Kyle Busch (#18) – 2056 pontos (1 ponto abaixo do 12º lugar)
14º – Paul Menard (#27) – 2056 pontos (1 ponto abaixo do 12º lugar)
15º – Kevin Harvick (#4) – 2034 pontos (23 pontos abaixo do 12º lugar)
16º – Clint Bowyer (#15) – 2018 pontos (39 pontos abaixo do 12º lugar)

A próxima corrida será na oval demolidora de Dover, a última corrida da primeira ronda de eliminação, e aí ficaremos a saber quem são os quatro pilotos que ficarão de fora da próxima ronda de eliminação, e consequentemente fora da Chase for the Sprint Cup.

 

Jorge Covas

Um pensamento sobre “NASCAR Sprint Cup Series – Sylvania 300

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.